8 atitudes para a mulher voltar ao mercado de trabalho

São muitas as mulheres que param de trabalhar para se dedicar à família e aos filhos, e quando decidem que chegou a hora, não sabem como voltar ao mercado de trabalho. Sentem-se desanimadas e inseguras, em vista da concorrência e dos desafios tecnológicos.

Há muita gente nova e qualificada disputando poucas vagas, e hoje, no Brasil, muitos jovens estão adiando o engajamento na carreira para, primeiramente, ter um preparo de mais qualidade, cursando uma faculdade e, se possível, estudando no exterior.

Com o desemprego em alta e o mercado mais restrito e competitivo, as pessoas têm se empenhado em se qualificar cada vez mais para enriquecer o currículo. Por isso, se você está afastada há muitos anos e procura uma recolocação no mercado de trabalho, continue lendo o nosso post e veja algumas atitudes a serem tomadas para se diferenciar!

Como fazer para voltar ao mercado de trabalho?

1. Analise sua vida profissional

Comece analisando a sua vida profissional a partir do momento em que parou. Se você ocupa uma posição consolidada, valorize os conhecimentos que desenvolveu e veja se quer continuar na sua área ou investir em outro ramo. Para isso, o coaching é o especialista ideal para ajudar a desenvolver o seu progresso pessoal e profissional.

Se você, ao contrário, sentir que precisa buscar algo novo — talvez transformar um velho hobby em profissão —, vá em frente: informe-se sobre a área que deseja, faça contatos com profissionais do ramo e vista a camisa de estagiária, buscando apreender tudo o que puder. Transforme esse momento de recolocação em uma oportunidade de realização pessoal e profissional!

2. Faça pesquisas de mercado

Se o seu objetivo é trabalhar em alguma empresa específica, pesquise sobre como ela atua ou de que modo você poderia atendê-la. Não se fixe apenas na garantia da carteira assinada: amplie seu campo para projetos e consultorias e trabalho freelancer ou temporário.

3. Escolha a informação certa para o currículo

Muitas mulheres não sabem como tratar no currículo o tempo em que ficaram inativas. Você deu um tempo na carreira pois sua família teve uma oportunidade no exterior? Inclua as experiências desse período, afinal, você aprendeu outro idioma e uma cultura diferente. E caso tenha parado para se realizar como mãe, esclareça que foi por um projeto pessoal.

Assim, há muitas formas de realçar os pontos positivos de suas vivências para voltar ao mercado. Morar em outro país ou assumir o papel de responsabilidade por um novo ser são momentos que agregam bagagens únicas de vida. Aproveite esses diferenciais e busque vagas em que aquilo que você vivenciou será valorizado, inclusive quando um salário maior estiver em jogo.

4. Capacite-se ainda mais

Faça uma graduação ou cursos técnicos. No caso de já ter uma formação, pense em uma pós-graduação. Estudar é bom não só para atualizar os conhecimentos, mas para fazer contato e trocar informações com colegas e professores sobre áreas de atuação e empresas.

Transforme o desânimo devido ao tempo de transição ou de desemprego para aprofundar seus conhecimentos. Canalize a sua energia e participe de palestras, eventos e congressos, faça serviços voluntários e, se puder, trabalhe de modo autônomo por um tempo. Do ponto de vista dos empregadores, essa atitude demonstra que a pessoa tem interesse em se manter atualizada e desenvolver novas habilidades na área.

Há, ainda, muitos cursos gratuitos (e de instituições renomadas) que poderão engrandecer seu currículo sem onerar seu bolso. Basta ter força de vontade e um pouco de tempo, escolhendo as opções certas, de acordo com a área em que deseja atuar.

5. Busque visibilidade

Cadastre-se em sites de empregos, empresas e grupos nas redes sociais (como o LinkedIn). Assim, você terá mais visibilidade. E lembre-se de avisar amigos e familiares sobre o seu desejo de voltar ao mercado de trabalho. Ótimas vagas surgem por meio de indicações de pessoas conhecidas, mas ninguém pode adivinhar seus anseios, certo?

Por isso, exponha seus objetivos e esteja disponível para as oportunidades que aparecerem, mesmo as mais simples. Lembre-se de que você está recomeçando e pode ser necessário um tempo para voltar ao cargo que ocupava antes da pausa na carreira. Cuide da sua imagem e siga em frente!

6. (Re) crie um networking

Monte a sua rede de relacionamentos — networking —, pois essa é uma ferramenta fundamental para se destacar e se inserir no mercado. Mantenha o contato com ex-colegas e saiba quais empresas estão contratando no momento.

Lembre-se de que pessoas que conhecem você, em âmbito pessoal ou profissional, poderão indicar seu nome com mais confiança. Além disso, esses parceiros saberão apontar suas competências e também divulgarão por que é interessante contar com as suas habilidades em momentos de desafio.

Se for preciso, volte a trabalhar com um antigo empregador para “pegar um gás” e retomar o fôlego na carreira. Afinal, nada melhor do que arriscar errar ou se reestruturar com uma pessoa de confiança, que conhece bem suas habilidades e pode ajudá-la a superar seus pontos fracos.

7. Mantenha o foco na sua área

Caso já tenha decidido o ramo no qual quer investir o seu esforço, mantenha o foco. É um erro se candidatar a todas as vagas que surgem. Caso apareça algo que não lhe atende, aceite, para ter uma chance de voltar ao mercado, mas continue buscando algo permanente e de acordo com o seu perfil.

8. Seja clara nas entrevistas

Na hora da entrevista, deixe claro para o recrutador seu potencial profissional, seus valores e experiências. Mesmo que não seja selecionada de imediato, poderão surgir outras oportunidades. Isso vale também para recrutamento interno da empresa em que você trabalha.

O mais importante é ser objetiva: o recrutador precisa entender imediatamente por que você se manteve afastada do trabalho. Não precisa colocar toda informação no currículo, como no caso de afastamento por doença ou para se dedicar à família. Contudo, ao expor o assunto, valorize o motivo, estabelecendo os pontos positivos da situação.

Cuidar da família, por exemplo, é um motivo nobre, e se o tempo foi bem planejado, certamente não vai “queimar o filme” da candidata.

Cuidado, apenas, se o motivo foi uma viagem a lazer ou para se dedicar a um passatempo: essa atitude pode causar insegurança ao empregador, fazendo-o pensar que você largará o emprego novamente, a qualquer momento, para repetir o período sabático.

Quanto tempo vou demorar para voltar ao mercado?

Se você já começou a tomar todas essas atitudes e ainda não encontrou uma oportunidade, não deixe a ansiedade e o desânimo tomarem conta. Segundo especialistas, no Brasil, uma pessoa leva cerca de 8 meses para se recolocar no mercado de trabalho. Essa estimativa é do Serviço de Proteção ao Crédito (SPC), a partir de informações provenientes do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Dessa forma, o tempo necessário para retomar a carreira é muito relativo, e você deve levar em consideração diversos fatores, como a área, o cargo almejado — quanto mais alto for, mais difícil de se recolocar, devido ao restrito volume de vagas — e a conjuntura econômica do momento.

Embora seja uma fase estressante e angustiante da vida, o principal, entretanto, é não desistir e buscar dicas como as sugeridas neste texto para acelerar o processo de volta ao mercado.

Sobretudo, busque também apoio emocional de pessoas que lhe querem bem, como parentes e amigos, para passar por esse momento delicado cercada de coragem e pensamentos positivos.

Além de tudo isso, saiba que as mulheres estão cada vez mais conquistando o seu devido espaço no mercado de trabalho. Ame-se, planeje-se, seja decidida e, consequentemente, aumente a sua autoconfiança. Assim, você também garantirá o seu espaço, voltando triunfante à carreira!

Gostou do artigo? Deseja se aperfeiçoar para saber como voltar ao mercado de trabalho rapidamente? Entre em contato conosco e conheça nossos cursos!

2 Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *